PROJECTO MARE NOSTRUM


No âmbito do Festival do Estoril, as Semanas de Música do Estoril iniciaram em 2003 o projecto Mare Nostrum resultante dos encontros Nova Geração de Compositores de Mediterrâneo realizados anualmente desde 2001 com participantes da Itália, França, Espanha, Croácia, Grécia, Eslovénia, Chipre, Turquia, Líbano, Tunísia, Jordânia, Portugal e Coreia. O êxito da iniciativa, fonte permanente de conhecimento das correntes estéticas de hoje, afirmação de identidades e preservação de uma cultura comum, permitiu que se apresenta-se ao público do festival cerca de 60 estreias mundiais e nacionais de obras de Kamran Ince, Jacopo Baboni, Luis Tinoco, Antun Tomislav Saban, Sérgio Azevedo, Emilio Calandin, Alberto Colla, Carlos Marecos, Jean-Philippe Bec, Jesus Rueda, João Pedro Oliveira, Miguel Gálvez, Nuno Côrte-Real, Francesco Antonioni, Vito Zuraj, José Luís Ferreira, Gabriel Erkoreka, João Madureira, Saed Hadad, José Manuel López López, entre outros compositores da nova geração, juntamente com repertório universal de autores consagrados de épocas anteriores como Monteverdi, Vivaldi, Berlioz, Debussy, Ravel, Falla, Milhaud, Strauss, Berio ou Xenakis que, em conexão com a história, mitos e influencias da cultura do Mediterrâneo, dão corpo ao conceito Tradição – Inovação, principal critério e ponto de partida da programação de cada ano. A execução de poemas sinfónicos como a Sinfonia nº.1, The Fall of Constantinopla, de Kamran Ince (descrição da histórica batalha entre o Imperador Constantino e o Sultão Mehmet, O Conquistador) ou Le Rovine di Palmira, de Alberto Colla (sobre a lenda de Antar) e peças de câmara como Qalbî’ arabî – Os viajantes da noite, de Luís Tinoco (sobre textos de poesia luso árabe), Lo specchio di Polimnia, de Francesco Antonioni (sobre a lenda da musa Polimnia), Sinamay, de Jesus Rueda (inspirado no célebre concerto para cravo de Manuel de Falla), I will stay in wonderland, the country of happiness, de Jean-Philippe Bec (inspirada nos últimos versos de Antonio Machado: estos dias azules y este sol de la infancia...), Le Contredesir, de Saed Haddad ou, ainda, Don Juan, de Strauss; Cinq Mélodies Populaires Grecques e Shéhérazade, de Ravel, são, entre muitas outras, obras de uma autenticidade profunda e linguagem depurada que bem ilustram este conceito.

Desde o início dos encontros, participaram cerca de 60 compositores da nova geração procedentes de países do Mediterrâneo, incluindo Portugal.


Mare Nostrum inspirou a EFA na criação do projecto europeu MusMA, de características inéditas, iniciado em 2010 com o apoio da Comissão Europeia e a Presidência Honorífica do Presidente Herman Van Rompuy, envolvendo prestigiados festivais internacionais de dez países, respectivas rádios nacionais e a Eurorádio.